Tuesday, December 21, 2010

Curso de Imersão - Identificação das directrizes da proéxis


Local: Campus da IAC
29 e 30 de Janeiro 2011

Você já identificou as directrizes da sua proéxis?

Conhecer e compreender as teorias da Conscienciologia não garante a vivência máxima da sua programação de vida.

Actualmente a Conscienciologia oferece uma série de subcampos de pesquisa.
Você já identificou a sua especialidade interassistencial? E o seu papel na maxiproéxis?

Objectivos:
  • Propiciar a reflexão dos factores determinantes da proéxis.
  • Identificar a linha pessoal da proéxis.
  • Definir o público-alvo da proéxis pessoal.
  • Facilitar o acesso aos conteúdos do curso intermissivo.
  • Ampliar o rapport com os Evoluciólogos.
  • Descobrir o seu papel na maxiproéxis.

Curso organizado pela IAC em parceria com a Associação Internacional da Programação Existencial Consulte toda a informação em DETALHES.


Saturday, December 11, 2010

Psicologia e Fenômenos Paranormais

Artigo de Jack Grabon, Voluntário da IAC Nova York

A psicologia convencional tem normalmente evitado percepções e experiências que não se encaixam perfeitamente em seu paradigma. Fenômenos como clariaudiência, ver "fantasmas", sensação ou percepção de presenças são geralmente rotulados como alucinações auditivas, visuais e táteis, respectivamente. Considera-se as intuições sendo delírios, enquanto as experiências fora do corpo como sendo algum tipo de dissociação. Com tais rótulos aversivos e o estigma que muitas vezes eles provocam, muitos que tiveram este tipo de experiências as mantiveram em âmbito privado, a fim de evitar o ridículo, o ostracismo, ou mesmo a perseguição e a internação em hospital. Mas, embora tais experiências humanas excepcionais, paranormais, parapsicológicas ou espirituais possam ser sugestivas de patologia, de acordo com o atual paradigma científico, a psicologia não necessariamente os considera transtornos por si só, especialmente quando essas experiências podem melhorar a vida.

A psicologia é regida pelas regras da ciência convencional que por sua vez se assentam no pressuposto do materialismo. Ou seja, se um fenômeno não pode de alguma forma ser fisicamente medido ou quantificado, a ciência considera que é demasiado subjetivo ou se trata algo vago, não digno de estudo. Uma das principais ferramentas usadas para diagnosticar a patologia em psicologia é o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais IV ou DSM-IV. Embora este manual contenha conjuntos de sintomas que são característicos de diversas patologias, estes, por si só, não são suficientes para garantir um diagnóstico. Os sintomas teriam de causar sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo no âmbito social, ocupacional ou em outras importantes(s) áreas de funcionamento. Por exemplo, se alguém está tendo experiências fora-do-corpo e mesmo assim é capaz de cuidar de si mesmo, de trabalhar e manter na normalidade as relações sociais com familiares e amigos, não se pode dar um diagnóstico conclusivo e a condição poderia até ser considerada normal. Infelizmente, a psicologia convencional ignora completamente o fato de que as experiências parapsicológicas podem melhorar a vida.

Aqueles que tiveram experiências paranormais relataram a melhora de suas vidas sob vários aspectos. Tomando o exemplo da experiência fora-do-corpo, uma experiência única pode mostrar que a morte não é o fim da existência, descartando assim, o medo da morte. Entre outras coisas, pode ajudar a pessoa a ver a interconectividade da vida, melhorar a ética pessoal e o senso de altruísmo, incrementando a compreensão da realidade física e não física. Como resultado, o indivíduo estará apto a se sentir mais feliz e mais realizado na vida, podendo impactar positivamente nos outros. A despeito destes benefícios, a mudança de paradigma não irá ocorrer dentro da comunidade científica dominante antes dessas experiências terem sido mais abertamente aceitas, discutidas e estudadas de forma mais abrangente pela grande população.

Ao questionar o paradigma científico atual, podemos expor as suas falhas e, finalmente, aperfeiçoá-lo. Ele acabará por tornar-se obsoleto e ser substituído por um paradigma mais abrangente, que inclui fenômenos parapsicológicos. Experiências paranormais serão vistas como bastante normais e benéficas de muitas maneiras, e a qualidade de vida das pessoas irá aumentar muito. Uma revolução na ciência produzirá uma evolução na psicologia. Cabe a nós preparar o caminho para isso ocorrer, desenvolvendo a nós mesmos para termos mais experiências, questionando o status quo, falando mais abertamente sobre as nossas experiências e educando-nos através da abundante quantidade de informações já existentes (mas ignorada) sobre esses assuntos.

Originalmente publicado no New York IAC Fall 2009 eBulletin


Friday, December 3, 2010

Entrevista dada por escritora Málu Balona

Entrevista dada por Málu Balona, escritora de Síndrome do Estrangeiro e Autocura Através da Reconciliação, a Tom Martins, no Programa "Ciência e Consciência" da TV Complexis.