Sunday, August 26, 2012

Pesquisa sobre Experiência fora do Corpo (EFC)



Um dos primeiros pesquisadores a realizar experiências laboratoriais sobre a EFC foi o  psicólogo  Dr. Charles Theodore Tart (1937 -). Em 1966, ele convidou uma projetora jovem para participar de uma série de experiências no laboratório do sono da Universidade da Califórnia - Davis. O historio das experiências projeciológicas levou quatro noites em que o projetor - "Miss Z" - teria de se deitar e tentar sair do corpo físico, enquanto estava  ligado a uma série de dispositivos que mediam as suas condições fisiológicas. O objetivo das experiências foi a identificação de um número de 5 dígitos gerados aleatoriamente,  que se localizava cerca de 1,5 metros acima da sua cabeça (impossível de ser fisicamente observado).

De segunda a quarta-feira, o projetora relatou ter visto o relógio enquanto flutuava fora do corpo. Nos momentos informados por ela, os dispositivos demonstraram  padrões incomuns  de ondas cerebrais. A ausência de movimentos oculares rápidos, (REM) também foi observada. Na noite de quarta-feira, Miss Z identificou o número alvo : 25132. O padrão de ondas cerebrais durante a projeção consciente foi diferente dos padrões durante os estados de vigília do sono, estado e outros alterados de consciência (uma expressão proposta pelo próprio Tart).

Entre 1965 e 1966, o mesmo pesquisador pioneiro estudou Robert Allan Monroe em 8 ocasiões no Laboratório Eletroencefalográfico da Faculdade de Medicina da Universidade de Virgínia. Equipamentos como EEG, ECG, EOG e foram utilizados, para grande desconforto do projetor. Monroe foi  solicitado para ler um número aleatório de 5 dígitos  numa prateleira colocada 2 metros acima do chão.

Durante as primeiras sete noites, ele não foi bem sucedido. Na oitava noite, ele teve duas breves projeções laterais. Na primeira ele testemunhou alguns estranhos falando num lugar desconhecido a uma certa distância, fato que não podia ser confirmado. No entanto, na segunda ocasião, Monroe descreveu corretamente , fora da sala, a técnica do laboratório e um homem, posteriormente identificado como o seu marido .Os seus movimentos oculares eram mais lentos do que no sono regular. A Fase I  das ondas cerebrais padrão, típica de sono natural com sonhos, observou-se quase imediatamente depois de Monroe se ter deitado - um evento extremamente raro, pois nesta fase ocorre normalmente após 80 a 90 minutos de sono sem sonhos. A frequência cardíaca esteve entre 65 e 75 batimentos por minuto.

Um estudo realizado por Janet Lee Mitchell (Sociedade Americana de Pesquisas Psíquicas, ASPR) e Karlis Osis na clarividência viajora do pintor surrealista e escritor Ingo Swann resultou em 8 de 8 observações corretas do alvo com probabilidade de  1 em 40.000  de uma ocorrência fortuita. Quando Swann relatou sua visão, estava fora do seu  corpo, houve perda de atividade elétrica e impulsos rápidos de ondas cerebrais nas áreas visuais nos lobos occipitais. Durante este estado, houve grande queda na atividade alfa no hemisfério direito do que o esquerdo, em que outras funções orgânicas permaneceram normais.

Osis também realizou  uma experiência “ Voar para…” com cerca de 100 projetores que tinha como alvo um pequeno escritório no quarto andar da ASPR, onde eles teriam de examinar quatro objetos-alvo (desconhecidos para eles, que deveriam ser observados em um determinado tempo  e ângulo de observação). Apenas 15% deles chegou ao escritório. Osis não acho que os resultados desta experiência fossem  significativos, porque verificou  que os melhores projetores muitas vezes descreviam os objetos em termos da sua forma e cores, e não como coisas materiais ,com os  seus nomes exatos. Esta experiência demonstra a hipótese de que o processo de aquisição de informação ou cognição durante a projeção da consciência é diferente do que seria esperado a partir da experiência física e até mesmo da percepção extra-sensorial comum.

Havia, no entanto, observações interessantes. Alguns, como um projetor de Toronto observaram que um incêndio num edifício próximo foi distraindo-se  por outras coisas ao longo do caminho. Outros viram os objetos com distorções, ou relatos de visão circular ou global (ver em todas as direções ao mesmo tempo). Uma barreira colocada sobre a mesa para separar os diferentes alvos foi visto como transparente por muitos deles.

Alexander Tanous relatou que a sua consciência viajou várias vezes desde  Portland (Maine) ao local de destino durante o experimento. Não só conseguiu observar corretamente os objetos e a forma da mesa, como também reparou numa chávena de chá, que na verdade foi deixada lá por outro pesquisador de forma não intencional. Elwood Babbitt descreveu o alvo corretamente em seu terceiro “ voo” desde Massachusetts. Ele também desenhou corretamente a forma e a localização de uma planta, uma pintura, e uma pequena escultura de uma menina sorrindo. Teddy  Marmoreo de Toronto projetou-se  para o local na noite anterior à experiência e viu dormir Osis na ASPR – um fato que foi confirmado.

Em 1977, Robert  Morris e Lyle Stuart Harary, da Universidade Duke realizaram um experiência criativa . Desde a  Universidade da Califórnia - Santa Barbara, Harary  (o seu corpo ligado a vários dispositivos fisiológicos) foi visitar Espírito, o seu gato de dois meses de idade, cujos movimentos numa gaiola eram detectados por sensores em Duke.  Uma acentada diferença de comportamento  foi observada quando o projetor estava fora do corpo e perto do gato, que se tornava  passivo, calmo, sem miar como se estivesse vendo ou sentindo a presença do Harary. Quando ele não estava projetado, o Espírito  tentava continuamente sair da gaiola em que estava  e miou 37 vezes. Os resultados foram considerados p = .01.  O fenómeno de  simples Telepatia foi excluída através de uma falsa projeção, onde Harary simplesmente imaginou a ocorrência. Em estudos posteriores, onde o animal não tinha  afinidade com Harary os resultados foram insignificantes.

Em 1979, Karlis Osis e Donna McCormick verificaram  que um projetor identificava corretamente  um alvo  visual aleatório , numa sala trancada cheia de sensores, 114 de 197 (57,87%) ensaios em 20 sessões. Durante esses 114 acertos efeitos cinéticos foram observados demonstrando a presença de algo sutil, todavia físico.

Relacionado com o OBE, na Engenharia de investigação de anomalias de Princeton (PEAR) os estudos do Laboratório de Percepção Remota Precognitiva (PRP) em 1987 já continha 334 ensaios formais obtidos por cerca de 40 "perceptivos", que geraram descrições escritas de um alvo geográfico desconhecido onde o "agente" estava localizado antes, durante ou após a descrição. Então, eles deveriam preencher uma ficha de perguntas de verificação  para posterior análise  analítica . Os resultados variaram desde "precisão fotográfica," a correspondência parcial de ambiente e / ou componentes,  até uma imprecisão completa . As principais distorções geométricas, as diferenças de ênfase de partes da cena, a progressão de descrição exata para descrição  imprecisa ou vice-versa não são incomuns. Portanto, Brenda Dunne e Dr. Robert Jahn criaram  um procedimento de avaliação quantitativo  mais sistemático. Aquele que combinava eficácia com simplicidade era através de uma lista de questões binárias descritivas estatisticamente ponderadas.
O Projeto da Imagem Destino, uma experiência que convidou as pessoas de todo o mundo chegar numa sala trancada na IAC Florida em Miami com um monitor de computador que exibe uma imagem. A imagem é selecionada aleatoriamente por um computador. Uma série experiências semelhantes  realizadas por Wagner Alegretti e Nanci Trivellato - Campo Projetivo-  junta dezenas de projetores num salão de baile durante um fim-de-semana com  oito tentativas de EFC. Depois de várias edições, essas experiências têm capturado EFC relativamente raras, observações  de visão remota de precisão fotográfica. Um estudo-piloto semelhante com objetos físicos e acompanhamento fisiológico do Laboratório do Sono da Universidade de São Paulo com projetores lúcidos do Centro de Altos Estudos da Consciência foi  recentemente televisionado pela TV Globo  ("Projeção Astral").

Informação Compilada por Nelson Abreu – Voluntário IAC Miami

Traduzido por Juliana Branco (IAC – Porto)


1 comment:

  1. Opa,bom dia sou da equipe detetive-particular.org ,Olha eu aqui denovo,blog muito bom,sempre que dá passo por aqui,continua postando ai,quero ver isso aqui cada vez melhor,alguem ai sabe desse site http://www.rastreadorgps.org/ ? to querendo saber se é bom,dizem que rastrea carro,moto,pessoas até...alguem ja ouvir falar?abraços,bom trabalho ai com o blog que ta fera!

    ReplyDelete